Número de mortos e imunidade explicam por que maiores de 60 são prioridade na vacinação

A vacinação contra a Covid-19 começou em diversos países e os profissionais da saúde são os primeiros na linha para receber a vacina, mas os idosos também são um grupo que merecem atenção e esse foi o destaque da reportagem do Jornal Nacional.

Os números não mentem, entre as 182.885 mortes causadas pelo coronavírus, até o dia que a matéria foi ao ar, 135.392 foram de pessoas com mais de 60 anos de idade.

Esse número se deve ao fato que com o passar do tempo, o organismo humano passa a ter respostas mais lentas no processo de defesa, passando a ser um processo menos eficaz, o que faz com que os idosos apresentem quadros mais graves da doença.

“As células de defesa do nosso organismo agem de uma forma um pouco mais lenta. É muito importante inclusive o diagnóstico precoce dessas doenças”, explica Dra. Maisa Kairalla, geriatra e coordenadora da Comissão de Imunização da SBGG.

As formas de defesa do organismo

O organismo humano reage de duas maneiras quando entra em contato com um organismo estranho.

A primeira é a resposta inata, que já nasce com a pessoa, que é uma defesa quase imediata de combate ao invasor.

A segunda resposta é a adaptativa, ela é adquirida ao longo da vida, e é esse tipo de defesa que a vacina induz, a criação de anticorpos.

Fonte: Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *