Pular para o conteúdo

Ampliado no SUS uso de medicamento para tratamento de infecção causada por fungo

Anfotericina B lipossomal é indicado para pessoas diagnosticadas com mucormicose na forma rino órbito-cerebral

O Ministério da Saúde ampliou, junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), o uso da anfotericina B lipossomal para o tratamento de pessoas diagnosticadas com mucormicose na forma rino-órbito-cerebral. A infecção é causada por fungo que, em geral, ocasiona doença grave em pessoas imunossuprimidas, especialmente com significativas desordens metabólicas, como o diabete descontrolado.

Acesse aqui a portaria publicada nesta quinta-feira (14). 

Nos dois últimos anos, a mucormicose teve marcada relação com a Covid-19, diante do grande número de diabéticos que desenvolveram a forma grave da infecção pelo coronavírus.

O medicamento já é indicado para o tratamento de infecções micóticas profundas. O prazo para a efetivação da oferta do medicamento no sistema público é de 180 dias.

Acesse aqui o relatório de recomendação produzido pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec).

FONTE: Ministério da Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *