Pular para o conteúdo

A ‘geração sanduíche’, aquela que cuida ao mesmo tempo de pais idosos, filhos e netos

Cada vez mais, estamos testemunhando um fenômeno que tem sido chamado de “geração sanduíche”. Trata-se de uma realidade vivida por muitos adultos contemporâneos, que se encontram no meio de uma delicada tarefa de equilíbrio: cuidar de seus pais idosos e, ao mesmo tempo, dedicar-se à criação e educação de seus próprios filhos. Essa situação desafiadora coloca uma pressão adicional sobre uma geração já sobrecarregada, gerando uma série de implicações sociais, emocionais e financeiras.

A geração sanduíche é fruto de uma combinação de fatores demográficos e sociais que se tornaram mais evidentes nas últimas décadas. O aumento da expectativa de vida e os avanços na área da saúde têm permitido que as pessoas vivam mais tempo, porém, muitas vezes, enfrentando condições crônicas de saúde que requerem cuidados contínuos. Ao mesmo tempo, as mudanças nos padrões familiares, como o adiamento da maternidade e o aumento do divórcio, resultaram em muitos adultos na faixa dos 40 e 50 anos ainda responsáveis pelos cuidados de seus filhos.

Essa realidade exige uma grande dose de resiliência e habilidade para conciliar múltiplas demandas. A geração sanduíche frequentemente se vê dividida entre trabalhar em tempo integral para sustentar sua família, cumprir suas obrigações parentais e, ao mesmo tempo, cuidar de seus pais idosos. Essa sobrecarga física e emocional pode levar a um esgotamento físico e mental, além de aumentar o risco de problemas de saúde, como ansiedade e depressão.

Os custos financeiros associados a essa situação também são um desafio significativo para a geração sanduíche. Os gastos com a saúde e o bem-estar dos pais idosos, combinados com as despesas relacionadas à criação dos filhos, podem impactar negativamente o orçamento familiar. Além disso, muitos indivíduos nessa situação são forçados a reduzir sua carga horária de trabalho ou abandonar suas carreiras para atender às necessidades de cuidado, o que pode levar a dificuldades financeiras a longo prazo.

Apesar dos desafios, a geração sanduíche também mostra um incrível senso de amor, dedicação e respeito pelos pais idosos. Esses filhos estão dispostos a fazer sacrifícios pessoais para garantir que seus entes queridos recebam os cuidados adequados. Muitos deles buscam soluções criativas, como o uso de tecnologia assistiva, contratação de cuidadores ou o estabelecimento de redes de apoio com outros familiares e amigos.

Diante dessa realidade, é fundamental que a sociedade e as autoridades reconheçam e apoiem a geração sanduíche. Políticas públicas voltadas para o apoio aos cuidadores, como a flexibilização do mercado de trabalho, subsídios para cuidadores e acesso a serviços de assistência social, podem ajudar a aliviar o fardo dessa geração. Além disso, é essencial promover uma conscientização pública sobre os desafios enfrentados por esses indivíduos, a fim de combater o estigma e garantir que eles não se sintam isolados ou negligenciados.

A geração sanduíche é um retrato da complexidade das dinâmicas familiares e dos desafios enfrentados pelas gerações contemporâneas. É uma demonstração do amor incondicional e do compromisso que muitos têm por suas famílias. Reconhecer, valorizar e apoiar esses indivíduos é um passo importante para construir uma sociedade mais inclusiva e compassiva.

De acordo com especialistas, ainda não existem estatísticas precisas sobre o fenômeno da “geração sanduíche” no Brasil. No entanto, dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio Contínua (Pnad Contínua) do IBGE em 2019 revelam que 54,1 milhões de brasileiros com 14 anos ou mais estavam envolvidos no cuidado de outros moradores de suas casas ou de parentes, embora não se saiba quantos estão cuidando simultaneamente de duas gerações.

Apesar dessa lacuna de informações, pesquisadoras brasileiras, Simone Wajnman e Jordana Cristina Jesus, destacam em um estudo sobre o tema no Brasil que a expectativa é que o fenômeno da “geração sanduíche” se torne mais comum em um futuro próximo.

No final das contas, a geração sanduíche merece nosso respeito e gratidão por sua dedicação incansável ao cuidar de seus entes queridos. Seus esforços e sacrifícios são uma verdadeira prova de amor e um exemplo inspirador para todos nós.

Juliana Mucury – Relações Públicas

Fontes de Pesquisa:  BBC News Brasil em Londres e Brasil Prev

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *