Pular para o conteúdo

Estudo revela que Quebra-Cabeças Digitais impulsionam memória e cognição em idosos

Os quebra-cabeças digitais têm se tornado uma atividade popular entre os idosos, proporcionando não apenas entretenimento, mas também benefícios significativos para a saúde cognitiva. Um novo estudo, realizado por cientistas da Universidade de York, no Reino Unido, e publicado na revista científica Helyon, lança luz sobre como a resolução desses quebra-cabeças pode melhorar a memória e a cognição em idosos.

Os jogos de quebra-cabeças digitais são conhecidos por desafiar a mente e estimular diversas áreas do cérebro. Eles requerem a resolução de problemas, a memória de curto prazo e a concentração – habilidades que tendem a diminuir com a idade. O estudo em questão examinou os efeitos desses jogos em um grupo de idosos com idades entre 65 e 85 anos.

O estudo avaliou 543 voluntários em dois grupos: um com jovens entre 18 e 30 anos e outro com idosos entre 60 a 81 anos. Os participantes jogaram três tipos de jogos diferentes:

  • Estratégia: que envolviam planejamento e coordenação de ações para alcançar objetivos.
  • Ação: em que a meta era superar inimigos ou obstáculos.
  • Quebra-cabeças: onde é preciso encaixar peças usando a lógica tanto do desenho quanto dos formatos.

Os resultados do estudo foram surpreendentes. Os participantes que dedicaram regularmente tempo para resolver quebra-cabeças digitais mostraram melhorias notáveis em várias áreas cognitivas. Isso incluiu:

1. Memória de Curto Prazo: Os idosos que jogaram quebra-cabeças digitais regularmente demonstraram uma melhoria significativa em sua memória de curto prazo, lembrando-se com mais facilidade de informações recentes.

2. Habilidade de Resolução de Problemas: Os quebra-cabeças digitais desafiam os jogadores a encontrar soluções para problemas complexos, o que levou a melhorias na habilidade geral de resolução de problemas dos participantes.

3. Atenção e Concentração: A concentração necessária para completar os quebra-cabeças digitais resultou em uma maior capacidade de concentração em outras tarefas diárias.

4. Bem-Estar Psicológico: Além das melhorias cognitivas, os participantes relataram níveis mais elevados de satisfação pessoal e bem-estar mental.

Os quebra-cabeças digitais oferecem uma forma divertida e envolvente de manter a mente ativa e saudável em idades avançadas. Além disso, eles podem ser facilmente adaptados às preferências individuais, permitindo que os idosos escolham quebra-cabeças com temas que lhes interessam.

À medida que a população envelhece, a promoção da saúde cognitiva torna-se uma preocupação cada vez mais importante. Este estudo destaca como os quebra-cabeças digitais podem desempenhar um papel vital na manutenção da mente ativa e saudável dos idosos. Incorporar esses jogos estimulantes em suas rotinas diárias pode ser uma maneira divertida e eficaz de impulsionar a memória e a cognição, ao mesmo tempo em que proporciona entretenimento e satisfação pessoal. Portanto, é hora de desafiar a mente e começar a quebrar essas peças digitais!

Como era esperado, os participantes mais velhos do estudo apresentaram um desempenho cognitivo inferior em relação aos mais jovens. No entanto, surpreendentemente, entre os idosos, aqueles que cultivavam o hábito de resolver quebra-cabeças digitais tiveram resultados notáveis. Em alguns casos, sua memória e desempenho cognitivo se assemelhavam aos de adultos jovens.

Após uma série de testes minuciosos, os cientistas chegaram à conclusão de que a prática regular de montar quebra-cabeças digitais, seja por meio de dispositivos móveis ou computadores, não apenas aprimora a memória e a concentração dos idosos, mas também auxilia na redução de distrações.

De acordo com a Dra. Thais Ioshimoto, médica geriatra do Hospital Israelita Albert Einstein, esses jogos desafiam o cérebro e estimulam a formação de novas conexões neurais, contribuindo para uma melhora notável na capacidade cognitiva. No entanto, ela destaca a importância de progredir na dificuldade dos exercícios. “Se mantiverem sempre o mesmo nível de desafio, os benefícios podem não ser tão evidentes”, explica a médica.

Além da complexidade dos jogos, há também o desafio de se adaptar à tecnologia, o que pode ser especialmente intimidante para muitos idosos. Portanto, é fundamental oferecer apoio e orientação durante a fase inicial. A Dra. Ioshimoto ressalta que muitos idosos podem não estar familiarizados com a tecnologia, e isso pode levar à sentimentos de frustração se não houver assistência adequada.

Em resumo, os quebra-cabeças digitais se revelaram uma ferramenta poderosa para aprimorar a cognição e a memória dos idosos, desde que sejam praticados de forma progressiva e com o devido suporte na adaptação à tecnologia. Este estudo reforça a importância de promover atividades que desafiem o cérebro e estimulem o envelhecimento saudável da mente.

Por Juliana Mucury – Relações Públicas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *