Pular para o conteúdo

Ioga: Uma Aliada para a Saúde Cognitiva e Física dos Idosos

  • por

A prática milenar da ioga tem se destacado não apenas como uma forma de promover flexibilidade e relaxamento, mas também como uma estratégia eficaz para estimular a saúde cerebral e cognitiva, especialmente entre os idosos. Segundo especialistas, as posturas desafiadoras da ioga não só testam a coordenação, equilíbrio e concentração, mas também podem impulsionar a plasticidade cerebral, essencial para melhorar a memória e outras funções cognitivas.

De acordo com Massola, especialista consultada, “esses desafios podem estimular o cérebro e promover a plasticidade cerebral, contribuindo para a melhoria da memória e outras funções cognitivas”. Ela enfatiza que esses benefícios não estão restritos a um tipo específico de ioga, como o hatha ioga, amplamente praticado no Brasil.

Além dos benefícios cognitivos, a ioga é celebrada por sua abordagem não invasiva e não medicamentosa para promover a saúde, sendo uma opção de baixo custo para manter a função cognitiva e a qualidade de vida na terceira idade. A especialista do Einstein destaca que a prática regular pode oferecer benefícios físicos e mentais significativos, apoiando o bem-estar contínuo à medida que as pessoas envelhecem.

Entretanto, antes de iniciar qualquer programa de ioga, especialmente os idosos devem considerar alguns cuidados essenciais para garantir uma prática segura. Consultar um profissional de saúde é fundamental, especialmente para aqueles com condições médicas preexistentes, lesões ou que estejam sob medicação. É aconselhável escolher um estilo de ioga adequado, como hatha ioga ou ioga restaurativa, que são mais suaves e acessíveis para iniciantes e idosos.

Durante as aulas, a comunicação aberta com o instrutor é crucial para adaptar as posturas conforme necessidades e limitações individuais, visando evitar lesões e desconfortos. Respeitar os limites do corpo e usar equipamentos adequados, como roupas confortáveis e tapetes antiderrapantes, também são recomendados para garantir estabilidade e segurança durante as práticas.

No entanto, é importante observar que a ioga não é indicada para todos. Condições como lesões agudas, problemas cardíacos não controlados, pressão alta não controlada, glaucoma não controlado, labirintite e problemas graves nas articulações requerem uma avaliação cuidadosa antes de iniciar a prática de ioga.

Em suma, a ioga emerge não apenas como uma prática de exercício físico, mas como uma ferramenta valiosa para manter a saúde física e mental dos idosos. Com os cuidados adequados e a orientação profissional, essa modalidade continua a ganhar reconhecimento como uma aliada na jornada do envelhecimento saudável e ativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *